Bem-vindo ao Fan Site Oficial do Yelawolf no Brasil.

Fan Page Yelawolf Brasil Oficial

Confira o espetacular novo álbum do Yelawolf, Trial By Fire

7

4/30/2015

Yelawolf fala sobre o "Love Story": "Eu aprendi o que sou capaz"

Terça-feira passada (21 de abril), Yela lançou seu aguardado álbum, “Love Story”. E a VIBE falou com Yela no ponto movimentado de SoHo em Nova York


"Eu aprendi o que eu sou capaz", diz Yelawolf para a VIBE. "Além disso, eu aprendi que as pessoas estão prontas para o que eu tenho a dizer. Foram assustadores esses degraus. A mudança é sempre assustadora, porque você não quer se alienar com os fãs ou as pessoas que o apoiaram."

VIBE: O que despertou a ideia para o “Love Story”?

Yelawolf: Eu apenas estou completamente sendo eu mesmo. E Marshall me deu luz verde para fazer qualquer merda que eu precisava fazer para conseguir isso. Eu sou escuro, que é apenas a natureza de mim e é assim que eu escrevo canções melhores. Há sempre algum tom escuro. Se você voltar para "Pop The Trunk" ou uma das faixas de “Radioactive” realmente escuras como "Throw It Up" com Marshall - essas linhas de piano são escuros. Esse tipo de merda traz algo fora de mim. "American You" tem uma melodia mais amigável, mas a música é mais como “Foda-se você também." Eu estou apenas colocando tudo para fora. As questões da infância, separações, perdendo família, lutando com demônios e todo esse tipo de coisa. É realmente como um blues.

VIBE: Você mencionou que você não quer se alienar com seus fãs. Você acha que seus fãs principais vão entender este álbum?

Yelawolf: Eu acho que eu plantei sementes suficientes ao longo da minha carreira para que isso não seja uma surpresa. Se você estiver prestando atenção a minha carreira você já teria visto isso chegando. Mas, eu tento fazer música que, mesmo se você não estava prestando atenção - soaria de qualidade superior e não pareceria artificial. Não é como se viesse do nada. É sentida naturalmente, porque é natural. É só eu. A maneira como me sinto. Eu sou um artista, e isso é o que fazemos.

VIBE: Você diz que você aprendeu sobre o seu potencial neste álbum. É este o projeto que você estava esperando em toda a sua carreira?

Yelawolf: Bem, eu estive insinuando este conceito antes de “Trunk Muzic”. Eu estava fazendo "Arena Rap”. Eu fiz “Stereo”, que é um tributo de hip-hop ao rock clássico. Isso tudo foi antes de “Trunk Muzik”. Eu estava viajando por aí com uma banda. Então, eu só estou revisitando e trazendo nova vida a isso porque eu sempre pensei que é o que eu realmente precisava ser. Eu sabia que o que eu estava fazendo na época era especial. “Trunk Muzik” estava à frente de seu tempo e as pessoas não estavam prontas. Então, a minha carreira felizmente armou-se para eu fazer isso desta forma. Isso funcionou cara. Quero dizer, a Shady Records.

VIBE: Qual é a sua canção favorita no álbum?

Yelawolf: "Devil In My Veins" é a minha favorita. Faz muito sentido para mim sonoramente; é onde eu posso me imaginar aos 50 anos de idade. Você tem que crescer, bem, você não tem de crescer - não estou dizendo a ninguém para que crescer, você pode ser uma criança toda a porra da sua vida. Mas para mim, eu estou apenas tentando envelhecer bem como o uísque.
Eu sou um grande fã de "Os Highwaymen", "Johnny Cash", "Willie Nelson" e "Waylon Jennings". Nós caminhamos para fora no palco todas as noites para "Silver Stallion", a canção de "The Highwaymen". Me conecto a porra fora da lei. Acabei de me ver em uma porra de Harley, perseguindo o sol, o tipo de merda com a porra de um revólver de seis tiros. Eu sempre tive o lado do cowboy para mim. Fora da lei, rebelde. Isso fala comigo. E o assunto dela é real. "Devil In My Veins" é a música mais crua que eu já coloquei em um álbum. É a canção mais crua que eu já fiz.

VIBE: Você escreve mais como uma forma de terapia ou com esperanças de que seus fãs tomem algo de sua música?

Yelawolf: Eu não estou esperando nada de ninguém. As pessoas me perguntam qual é a melhor coisa de um fã. Eu não me importo. O que, você quer que eu vá ler o meu Twitter? A melhor maneira de colocá-lo é se eu fosse um pintor e eu levar a causa da minha dor a uma galeria. É na parede, e é para você assistir e desfrutar. Eu sou apenas o artista. Eu não vou ficar lá com você para criticar. Mas também me ajuda a não se preocupar. Porque se há milhares de pessoas para me dizer que foi fenomenal e que uma pessoa de Boise, Idaho disse que é uma porcaria, eu estaria chateado. Eu me pergunto por que ele não gostou. Eu não posso me incomodar com esse tipo de preocupação, cara. Eu cometi esse erro antes.

VIBE: Sério? O que aconteceu?

Yelawolf: Cheguei a um ponto onde eu queria voar para uma cidade e bater em alguma pessoa aleatória que eu nunca tinha conhecido ou visto por causa de como ele estava falando comigo online.
Um ano e meio eu deletei Twitter e Facebook do meu telefone, e eu me recusei a ficar online. E durante esse tempo eu fiz "Psycho White", eu fiz "Trunk Muzik Returns", eu fiz o registro com Ed Sherran. Eu fiz muita coisa. E, em seguida, logo após o "Trunk Muzik Returns" na minha turnê na Austrália, eu decidi que eu iria voltar online. Eu apaguei todas as fotos que já tinha postado no Instagram e eu comecei de novo.

VIBE: Mas o que você leu online para que você quisesse fazer isso?

Yelawolf: "Foda-se, Foda-se sua mãe, seu pedaço de merda. Por favor, saia do rap. Se eu estivesse na frente de você agora eu o golpearia seu merda." E, eu ficava tipo: ‘Oh yeah, eu posso fazer essa merda acontecer. Eu posso ficar na frente de você.’ E isso não é saudável, cara.
Primeiro de tudo, eu poderia ter aparecido na porta daquele cara e poderia ser tipo um garoto de 12 anos. Eu não podia permitir que isso acontecesse mais. Além disso, a forma como eu estava me aproximando da mídia social estava toda errada. Eu nem estava usando da maneira que eu deveria. Então, quando voltei, tinha uma porra de um plano. A mídia social é como se fosse uma música para mim. É um diário de estar. Se você me segue, todas aquelas fotos e citações você deve ser capaz de fazer um livro fora disso.

VIBE: Quanto Eminem tem ensinado que você não sabia antes de conhecê-lo?

Yelawolf: É a liberdade e a confiança que me foi dado por ele. Shady ainda é uma gravadora e ainda é como: Ir para Nashville e fazer o que diabos você quer fazer e isso é inestimável. E, o fato de que nós estamos colocando para fora o álbum nesta gravadora é uma merda legal. Para ouvir "Devil In My Veins" ou "American You." O fato de que Marshall é como: "Sim, yeah porra. Isso é uma merda legal. É uma justaposição, mas é o que deveria ser. Eu estou crescendo, evoluindo e ele entrou em meu próprio álbum e ele está totalmente por trás disso e eu não poderia pedir mais do que isso.

Adquira o "Love Story" clicando aqui.

4/29/2015

"Love Story" ficou em 2º nas paradas da Billboard

"Love Story" vendeu 55.360 cópias na semana de abertura (61.360 incluindo streams) de acordo com HDD. Em comparação ao "Radioactive" que vendeu cerca de 41 mil unidades, ficando na 27ª posição.

RANKING DE VENDAS

RANKING DE VENDAS + STREAMS

Adquira já o seu clicando AQUI!

4/25/2015

Yelawolf falou sobre sua colaboração com Ed Sheeran


Não muitos verões atrás, ele encontrou-se com o britânico Ed Sheeran para fazer boas músicas. Três anos mais tarde, a colaboração de Ed Sheeran e Yelawolf, o EP Slumdon Bridge, serve como um monumento estranhamente prolífico para o relacionamento de dois artistas que não viram um ao outro desde aquele dia em 2012.


O cenário comprova o que muitos fãs casuais podem não saber sobre as colaborações e indústria em geral. As colaborações são na sua maioria amarradas juntas pelo gerenciamento das gravadoras com a rara oportunidade de ficar na cozinha e cozinharem juntas. "Eu realmente não tenho nada para dizer", explicou Yela. "Eu estava tipo, ‘deixa eu só ir até o estúdio e gritar com ele’... Subi ao estúdio, apertamos as mãos, cara era legal, gravamos cinco músicas em uma única sessão, e eu não o vi desde então."

"Havia pessoas na Europa dizendo, o que diabos você estava pensando? Por que você fez uma colaboração com Ed Sheeran? Eu estava tipo, 'Cara, você não entende como isso aconteceu. Isso pode não fazer sentido, mas de alguma forma faz."

Vendo como os dois trocaram de lugar em posições nas paradas e Sheeran foi lançado a níveis incríveis de popularidade em todo o mundo, esta pode ter sido a única vez que ouvimos os dois juntos.
uproxx

4/24/2015

Avaliação do "Love Story"

Como todos sabem, na última terça (21/04), Yelawolf lançou o “Love Story”, após ouvirmos o álbum algumas vezes, nós fizemos uma avaliação de cada música.


Confiram:

Outer Space: Introdução do álbum, a faixa é composta por um único verso, tem um som estritamente old-school. Yelawolf mantém muito bem a batida, o flow é muito interessante, e o refrão é super forte e envolvente. Boa maneira de abrir o álbum. Nota 8/10.

Change: Tem uma batida envolvente e com constantes mudanças no flow. Algumas modificações eletrônicas usadas para alterar a voz o Yela no terceiro verso e uma mensagem forte sobre ser o dono da sua própria felicidade. Nota 8/10.

American You: Flow é perfeitamente encaixado com a batida e a letra é excelente. Com certeza uma das melhores músicas do álbum. Nota 9.5/10.

Whiskey In A Bottle: Essa tem um refrão extremamente envolvente, o ritmo fica na mente. Uma boa letra com um ótimo flow. Yela captura a atenção do ouvinte nessa música. 8.5/10.

Ball and Chain [Interlude]: Com apenas um violão acompanhando o Yela neste interlúdio inteiramente cantado, Yela novamente prende a atenção do ouvinte que fica com vontade de ouvir mais. Nota 8/10.

Till It’s Gone: Essa canção descreve o conflito contínuo de Yelawolf com a fama, através das frustrações a ela associados, como, por exemplo, o sentido de dever para com as pessoas que conhecia antes do sucesso. Uma excelente música, com um ótimo flow e uma batida envolvente. A faixa também foi incluída, devido ao grande sucesso, como "faixa oculta" do Shady XV. Nota 10/10.

Devil In My Veins: Uma letra profunda, na qual Yelawolf expressa seus sentimentos sobre seus demônios e como estes irão levar a ações destrutivas, é uma música muito envolvente. Nota 10/10.

Best Friend: Eminem como sempre foi incrível, com um flow espetacular, indo de um ritmo calmo a um ritmo rápido e com raiva, mas Yelawolf conseguiu esculpir o seu espaço na canção. Uma das melhores do álbum. Nota 10/10.

Empty Bottles: O dinamismo contínuo da batida, acompanhado por uma sincronização perfeita da voz de Yela, consegue novamente prender o ouvinte. Quanto ao significado desta canção, Yelawolf tenta nos acompanhar em uma jornada para descobrir os pensamentos que estão em sua mente quando ele afoga seus sentimentos em álcool e como ele se sente depois de acordar no dia seguinte à ressaca. Nota 8.5/10.

Heartbreak: Yelawolf elabora uma obra prima. A batida é afiada, única. Yelawolf nos mostra a sua versão de "coração partido", e a dor causada por uma ruptura sentimental. Nota 10/10.

Tennessee Love: Essa faixa é uma balada sentimental dedicada à Fefe Dobson. A letra é excelente, com uma batida lenta que Yelawolf se encaixa perfeitamente. Ótima canção. Nota 9.5/10.

Box Chevy V: Nessa faixa você pode ouvir os diferentes tipos de flow, acompanhada por um refrão cativante e agradável. A batida é boa. Nota 8.5/10.

Love Story: A faixa-título, destaca o flow único de Yelawolf, com uma ótima letra, atraindo a atenção do ouvinte. O título resume a essência do álbum, educação, crescimento e desenvolvimento de sua carreira e a direção em que ele está se movendo. Nota 8.5/10.

Johnny Cash: Através de uma introdução eloqüente, Yelawolf nos fala sobre o sentimento que tem para entrar no palco. A escolha das palavras é meticulosa e, através da descrição dos detalhes que ele parece sentir durante seu show, Yelawolf pode levá-lo dentro de suas ansiedades. Nota 8.5/10.

Have a Great Flight: Batida envolvente e ótima letra. O tema principal da canção é a avó de Yelawolf, que ele gostava muito. Ele cita algumas lembranças de sua infância, como o arranjo dos antigos livros da avó e da felicidade dela em ver seu neto crescer. Nota 8.5/10.

Sky’s The Limit: É a única música onde há referências à política, em especial citando Obama e seu relacionamento com Jay-Z. Além dessas referências, o significado da canção segue a linha do sonho americano, de modo muito diferente de “American You”. Ele descreve, de fato, alguns aspectos da sociedade moderna que ele acha que devem ser mudados. As várias referências culturais, econômicas e sociais. Nota. 10/10.

Disappear: Nessa canção Yela abre as portas de sua alma, e conta as histórias de violência perpetradas por seu padrasto “Benny”. É uma música que toca o ouvinte de uma forma profunda. Nota 10/10.

Fiddle Me This: Fechando o álbum, uma canção rápida e um flow difícil, contém também um agradecimento especial ao mentor Eminem. “Obrigado por me deixar ser eu mesmo Shady”. Nota 8/10.

Classificação geral: 9

Para comprar o álbum, clique AQUI!

Yelawolf feat. Eminem - Best Friend (Vídeo Oficial)

O tão aguardado vídeo oficial de Best Friend com Eminem acabou de sair.

Assistam:

4/23/2015

No laboratório com Yelawolf

O pessoal do site “nahright” conversou com Yelawolf alguns dias antes do lançamento de “Love Story”, e nós traduzimos aqui essa conversa.


Eles conversaram sobre a gravação no famoso Blackbird Studios em Nashville, seu processo de escrita, aprendendo com Eminem e muito mais. Também sobre o porquê de ele parar de andar de skate para prosseguir uma carreira no rap, seus planos para a produção de todo o próximo álbum, o seu amor por Johnny Cash, e o livro de letras que está saindo com “Love Story”. "O álbum inteiro é escrito à mão no livro de letras, estamos colocando para fora e Eminem escreveu a mão seus versos também por sua característica", Yela disse. "O livro de letras tem todas as letras manuscritas de cada música e um monte de fotos do making of. É muito legal."



Ao assumir rap sério

Yelawolf: Algumas vezes eu me lembro de fazer rap em uma festa em casa ou no carro, onde havia alguns amigos meus. Eu poderia falar sobre o olhar em seus rostos e como eles estavam empolgados. Talvez tenha sido algo que eu precisava levar a sério. Eu tomei a decisão por conta própria que era algo que eu precisava fazer. Não foi ninguém em particular. Nenhuma pessoa disse: “Isto é o que você precisa fazer." Eu poderia dizer que eu tinha um talento especial para isso. Estava vindo natural para mim como qualquer outra coisa. Se você jogar sinuca e você está sempre vencendo no bar. Esse tipo de autoconsciência coisa-justa.

Eu coloquei minha música em primeiro lugar, mas o skate era uma paixão minha. Eu ainda sou um grande fã disso. Eu estava realmente tentando ser uma parte disso, mas eu vim em uma época diferente. E no Sul, onde eu estava chegando, não havia ninguém com câmeras. Eu não estava recebendo filmagens. A única maneira para você obter isso é com imagens. Então, no momento em que eu fiz isso para Berkley, quando completei 19 anos, eu estava apenas sendo destruído. Ambos os meus tornozelos foram severamente torcidos ou quebrados. Duas vezes. Ele chegou ao ponto onde eu estaria andando na rua e podia rolar meu tornozelo, porque eu não tinha controle dos meus tornozelos mais. Eu estava sobre a cena. Eu estava sobre a coisa toda. Eu ainda amo andar de skate, mas eu não era um fã da indústria e eu não era o fã da maneira como estava sendo tratada.

E também, eu estava começando a saber que esses skatistas estavam fazendo nenhum dinheiro. Todos esses skatistas profissionais que eu olhei até foram à falência. Comecei a me perguntar por que, "Você sabe?" É como, “Cara, eu não posso dar a minha vida a isso. Não é para mim." É absolutamente para algumas pessoas e algumas das minhas pessoas são bons amigos e eles fazem uma boa vida fora disso. Eu coloquei esse sonho para descansar.

Influências

Um monte de rock clássico ao redor da casa como Fleetwood Mac, 10.000 Maniacs e REO Speedwagon. Lembro-me de Ted Nugent. Um monte de Hank Williams, um monte de Hank Jr. Merle Haggard. Dolly Parton, um monte de Patsy Cline. New metal era Metallica. Megadeth. Judas Priest. No lado do hip-hop, começou realmente com Beastie Boys e Run-DMC.

Então, depois disso, quando me mudei para Nashville, tornou-se um turbilhão de hip-hop underground. Da Bush Babees. Hieroglyphics. Digable Planets, e então veio OutKast e Goodie Mob, juntamente com rap do sul. [Playa Fly’s] “Nappy Hair & Gold Teeth.” 8 Ball & MJG. Three 6 Mafia. UGK. Toda essa merda estava acontecendo. Eu poderia estar ouvindo Three 6 Mafia ou Ice Cube por dia e estar sentado em uma sala com Randy Travis naquela noite porque o marido da minha mãe na época era o gerente da estrada para Randy Travis. Então, eu estava sempre com ele ou no Grand Ole Opry assistindo Hank Williams Jr.


Sobre o motivo dele gostar de Johnny Cash

Eu sou fã da pessoa que ele era, e como ele operava e seu estilo. Estilo rei. Apenas o mais legal. É por isso que eu amo Johnny Cash. Obviamente, eu amo sua música, mas eu não sou uma enciclopédia em suas canções. Eu simplesmente amo quem ele é. Eu uso o nome dele em "Johnny Cash" como um adjetivo. 

Gravando “Love Story” no Blackbird Studios

Malay, o produtor, ele estava me contando sobre este estúdio há anos. Ele estava tipo, "Cara, Nashville tem este estúdio chamado Blackbird e eles tem todas essas coisas." O proprietário Jon McBride, que é marido de Martina McBride, ele investiu uns $ 40 milhões para essa instalaçã, engrenagem vintage. Ele também investiu em um grupo de engenheiros que conhecem a sua merda. Se você vai lá e você diz que quer um som particular de guitarra, eles vão puxar uns $ 10,000 vintage Gibson e conectar em um amplificador que você não consegue encontrar. Mics que ninguém tem e dar-lhe o som que você está procurando. Eu só fui lá para a liberdade dele. Era tudo o que você imagina. Portanto, é um dos melhores estúdios do mundo.

Eu tenho um estúdio em casa, mas é um depósito agora. Eu tinha um berço em Nashville e foi por um tempo, porque eu estou comprando uma casa. Eu tenho um sótão no leste de Nashville e eu coloquei todas as minhas coisas no depósito por isso está lá por um tempo. Eu fiz “Trunk Muzik Returns” e "Black Fall" com o DJ Paul no meu estúdio caseiro. Temos o Big Mac e o novo Pro Tools e alguns monitores realmente grande. Temos uma Avalon. Temos uma cabine flutuante. Cabine de sala sussurro. Big Normans mic. Nós colocamos algum dinheiro para isso. Colocamos um microfone de $ 300,000 [isso]. [Risos.] Provavelmente tudo junto uns $ 50,000 algo a ver bem com o engenheiro certo apenas instalação ainda é limitada. Mesmo com tanto dinheiro, ele ainda é como uma diferença gritante entre o que é um Blackbird.


Sobre trabalhar com um círculo menor para o álbum

Normalmente, era apenas Malay e WLPWR, mas mesmo eles tiveram que sair quando eu estava cortando vocals. [Risos.] Eu sou como, "Posso ter um par de minutos para passar por isso?" Só porque eu não queria alguém com a conversa de volta como, “Você poderia fazer isso de novo?” antes de eu decidir se queria ou não fazer algo novo. Eu sei que quando eu tenho uma má tomada. Eu podia ouvi-lo. É útil ter esse controle. Ele geralmente acaba com uma música melhor. É para isso que você está lá. Você está lá para fazer um bom registro, assim é o método utilizado para obter esse feito. Se ele está tendo uma festa ou apenas você, o ponto é conseguir uma boa música. Não é como há regras, porque algumas sessões são diferentes. Tenho algumas sessões, às vezes, onde há um monte de gente lá dentro. Mas a diferença foi apenas para convidados. Ninguém aleatório lá.

Para mim, eu sou muito exigente com o que eu quero da canção. Eu tenho que ser capaz de dizer se eu gosto ou não antes de alguém decidir se eles gostam ou não. Mas eu mantenho pessoas no estúdio que eu respeito as suas opiniões, por isso eram muito poucas as pessoas que foram autorizadas. Desta vez, até mesmo cortando vocals, gostaria de fechar a porta apenas para ter algum espaço para mim mesmo. Só eu e um engenheiro.

Em seu processo de escrita

A música é a única coisa que me leva a escrever, às vezes. Na verdade, "Empty Bottles" Escrevi sem qualquer música em uma estrada de ferro, literalmente, na Geórgia. Apenas a melodia veio a mim, a música, e mesmo o colapso de duplo tempo no final. E então eu tirei essa idéia de Malay e ele o fez vir à tona. Essa é a única música que eu acho que eu já escrevi, sem qualquer música que eu fiz isso para um álbum. Já aconteceu alguma vez de vez em quando. Mas elas nunca realmente parecem funcionar. "Empty Bottles" é a única música sem qualquer música em tudo. Sem violão. Sem nada. Só a melodia e é isso. Essa foi a única música que eu já escrevi assim. Nas outras vezes, isso acontece com um instrumento; de guitarra, piano, tambores. Algo acontece que faz com que você quer escrever. Eu não tenho certeza o que é. Isso vai continuar a ser um mistério o que diabos faz você querer escrever essas palavras.

Às vezes eu escrevo sobre um bloco de notas ou iPhone. Se eu fosse um purista, eu não iria usar um iPhone, tanto quanto escrita. Eu estava realmente um pouco sobre alguns “Cara, foda-se. Isso é uma bosta. Eu não estou escrevendo um registro em meu maldito iPhone.” Mas eu tive momentos em que é como gravação de voz de uma idéia. Ou dirigindo pela rua e eu tenho essa idéia e eu uso o tradutor e eu vou falar minhas letras no telefone e isso se escreve. Então é muito narcótico. Às vezes, ele funciona. Mas a maior parte do tempo, tudo o que eu posso pegar é: um guardanapo, um recibo. E escrever a canção.


Na escrita de refrãos e cantando

Sempre escrevi refrãos. A diferença agora é que eu vim acima puxando o melhor de, você sabe? Fazer música é como colocar merda por uma peneira, para mim. Você tem que ficar melhor, esse é o objetivo. Eu sempre fui um escritor de refrãos, mas com uma grande melodia, isso realmente se abre para um grande refrão. Pode abrir você a escrever algo especial. "Till I’ts Gone" é a melodia musical que faz esse refrão que ele é. Ele carrega você lá. Uma vez que você tem uma grande melodia, então você combina isso com uma grande melodia vocal, é apenas sobre encontrar essas palavras para torná-lo um grande refrão, que é difícil.

Sobre trabalhar com WLPWR toda a sua carreira

WLPWR é grande. Ele é um dos melhores sintetizadores e programadores de bateria lá fora. A próxima fase é que vou estar produzindo, provavelmente o próximo álbum inteiro. Só porque eu sei o que é um produtor e honestamente eu fui um produtor o tempo todo. Eu só não sabia o que eu estava fazendo. Will é fenomenal. Ele é um programador incrível e quando estamos juntos, fazemos alguma merda assim. Somente vai acontecer quando estamos na sala juntos. Nosso som quando estamos juntos não acontece sem ele ou eu. Eu não poderia fazê-lo sem ele e ele não poderia fazê-lo sem mim. Isso não vai acontecer. Produzimos juntos. O próximo projeto, também, eu vou entrar nessa.

Eu adoro ter pessoas na sala que posso apenas brincar. Músicos [podem] fazer alguma merda assim legal. Bones Owens, meu guitarrista, ele tem esse dom. Ele só vai jogar alguma merda assim. Ele jogou o "Devil In My Veins" na guitarra e isso estava fora de lugar nenhum. Ele apenas ficou lá, de brincadeira. Estou tão feliz de tê-lo. Robbie Turner, o homem de aço jogador. Zach e Lindsey: Lindsey o jogador violoncelo e Zach o jogador string. Rob Base. Jeff. WLPWR. Malay. Um monte de peças em movimento, mas eles são todos muito importantes. Meu engenheiro Leland Elliott, que faz algum sentido. Eles são todas as peças importantes.


Aprendendo com Eminem

Aprendi confiança. Isso tem sido assim [que] com qualquer pessoa no mundo. Não importa o quanto de uma estrela que são ou como tanta notoriedade, é difícil entregar a sua música para alguém e dizer: “Tudo bem, o que você acha? Ou levá-la ao próximo nível." É uma relação de confiança que eu tenho para ele e ele tem para mim que funciona. Este álbum, se alguma coisa, definitivamente mostrou que o relacionamento é vendido. Para enviar-lhe "American You" e não que eu tinha ouvido falar dele trabalhar em algo especial como esse, e que ele me enviar o que ele me enviou, ele matou. Ele realmente, realmente matou. "Heartbreak", a canção que ele produziu, e onde ele tomou "Best Friend." É só a parceria.

Você pode aprender muito apenas assistindo alguém. Não há nenhuma frase em particular que eu posso cortar. É só assistir. Basta prestar atenção. E, para mim, é só aplicar-me no meu próprio caminho para as coisas que eu vi ele fazer sem emular sem copiar. Apenas assistir. Marshall é sua própria coisa em primeiro lugar. Ele é apenas o seu próprio negócio. Não é como se ele poderia ser emulado alguma maneira, porque não podia. Como um mentor, é só prestar atenção. Ele foi um mentor antes de eu o conhecer. Um monte de gente poderia dizer que, não só eu. Merda, provavelmente há milhares de pessoas e artistas em que podem dizer isso.



Fundamentos de estúdio

Bebidas Monster Energy durante todo o dia. [Risos.] Isso é tudo que eu preciso para executar. Eu preciso de mais nada. Sem comida. Sem água. Apenas bebidas Monster Energy. “Love Story” foi feito com bebidas Monster Energy.

Sobre o que é o próximo

Eu vou em turnê para este álbum. Isto é o que eu faço. Eu lanço um álbum e eu faço turnê [Risos.] Eu vou estar em turnê para os próximos quarenta anos transando até o próximo álbum sair. Eu não sei se ainda é uma das suas perguntas. Não é. Eu só fiz um porém: Quando o próximo álbum está saindo? Eu não faço ideia. Como se chama? Eu não sei. Mas eu vou estar em turnê até que isso aconteça.


Comprem o álbum clicando AQUI!

E o ouçam abaixo:

4/13/2015

Vazou! "Yelawolf - Best Friend (Feat. Eminem)"

Acabou de vazar mais uma faixa de "Love Story", a tão aguardada "Best Friend feat. Eminem".


4/08/2015

Yelawolf – Best Friend (Feat. Eminem) (Snippet)

Yelawolf vai lançar seu álbum "Love Story" no dia 21 de abril e hoje temos uma prévia de sua próxima música com Eminem intitulada "Best Friend".



RapDose

4/03/2015

Yelawolf - American You (Vídeo Oficial)

Acabou de sair o vídeo oficial de "American You", com participação especial de Travis Barker.
Assista abaixo:

O álbum será lançado oficialmente dia 21 de abril mas já está disponível para pré venda. Confira clicando aqui.