Bem-vindo ao Fan Site Oficial do Yelawolf no Brasil.

Fan Page Yelawolf Brasil Oficial

Confira o espetacular novo álbum do Yelawolf, Trial By Fire

7

11/30/2011

Radioactive não alcança o Top 25


Radioactive estreou em # 27, vendendo mais de 40.000 unidades. O emcee Yelawolf assinou contrato com a Shady Records no ano passado, depois de um acordo com a Interscope que já havia sido anunciado, com o selo Ghet-O-Vision ainda em vigor também, o álbum conta com a participação de Killer Mike, Boo Gangsta, Lil Jon, Kid Rock e Eminem.

Destaques na semana:
#3. Rihanna - Talk That Talk - 198,000 (198,000)

#4. Drake - Take Care - 173,000 (804,000)

#5. Mary J. Blige - My Life II: The Journey Continues 156,000 (156,000)

#15. Lil Wayne - Tha Carter IV - 59,000 (1,752,000)

#16. LMFAO - Sorry For Party Rocking - 56,000 (306,000)

#27. Yelawolf - Radioactive - 41,000 (41,000)

#51. Wale - Ambition - 21,000 (256,000)

#112. Webbie - Savage Life 3 - 9,100 (39,000)

#164. Tech N9ne Collabos - Welcome To Strangeland - 5,100 (38,000)

#189. Mobb Deep - Black Cocaine EP - 4,200 (4,300)




11/29/2011

Estimativa de vendas do Radioactive



Radioative, o álbum de estréia na Shady Records de Yelawolf, de acordo com as pesquisas que foram feitas, venderá aproximadamente 50.000 cópias em sua primeira semana.
Pode parecer um valor muito pequeno, porém a semana está repleta de lançamentos de vários artistas fortes no mercado, tais como Rihanna e Nickelback, o que acaba apagando um pouco o recém chegado Yelawolf.

Especial Radioactive - Hard White (Up In The Club) feat. Lil Jon

Hoje traremos a explicação da música "Hard White (Up In The Club)" com participação especial de Lil Jon, produzida por Tha Hydrox. Nós estaremos trazendo uma música por dia, então não esqueçam de conferir aqui no site, amanhã a música ''Growin' Up In The Gutter (feat. Rittz).


Yelawolf: "Essa foi a última música que nós cortamos para o projeto. Quando você está cortando faixas, você sempre só precisa daquela. Que frustra a merda fora de mim porque eu não sou de zuar nas baladas assim. Eu nunca fui. Apenas não é meu lugar, eu prefiro ir para um bar fuleiro."
Eles me falaram algo como,"Nós precisamos de algo para balada'', e eu respondi com ,''Você quer saber? Me toca essa batida do caralho!" A primeira coisa que saiu foi, ''Up in the club / Don' t give a fuck''- apenas um tipo de sarcásmo sobre isso, mas há momentos em que eu gostava de sair para zuar. Se eu sair para balada, eu  vou estar só passando raiva. Eu não quero apenas sentar e jogar o dinheiro fora. Eu quero jogar álcool e parecer selvagem e louco!
"Quando eu gravei essa música, eu fui de volta para Atlanta, ouvi o mix, e para minha surpresa Lil Jon estava nele. KP fez isso acontecer. Eu não tinha idéia. KP dizia  ''Hey se liga nisso.'' "Eu ouvi a sua voz e era como, ''Oh merda!'' Sério, quem é o melhor para fazer parte desse mundo?
"Na linha de ''I don’t break it down for you motherfuckers out there waiting around for some rap savior'' vem de pessoas sempre buscando o próximo. Eu era apenas um MC dizendo: ''Aqui estou eu porra." É melhor olhar para o que é que você está enfrentando agora. Não há necessidade de procurar o que está acontecendo ao lado, porque eu sou. Isso é apenas MC'. Ego total. [ risos ] "
Lil Jon: KP me ligou e disse, ''Eu e o Yela temos essa faixa e nós pensamos que seria louco se você caisse nessa com nós." Cheguei no estúdio, eu acho que Yela estava na estrada, mas eu coloquei meu material para fora em 20 minutos. Foi isso.
"Eu conheço KP desde sempre. Ele era um A&Ring em La Face, e eu era um A&Ring em So So Def. Nos anos 90, Atlanta era uma família musical unida. Todo mundo saia com outro.''
"A primeira vez que vi o Yela nos estavamos no Maloof Money Cup em New York alguns anos atrás. Logo depois, nos encontramos em Atlanta e fomos para meu estúdio e trabalhamos em alguma coisa. Nós nunca terminamos de verdade. Depois disso, essa ideia surgiu, e eu precisava fazer parte do projeto.''

"Faz um tempo que não tenho um disco grande no estilo Urbano. Eu estive em todos os tipos de cruzamentos grandes gravando cds, mas nada como esse."
Trey "Tre" Holla de Tha Hydrox: "É uma batida que fizemos há quase um ano. A batida começou quando um dos nossos membros, Ace [Lex Cartanya], surgiu com o contexto original, mas não sabia bem o que fazer com ele. Poucos meses depois, Mike Jaxx [um dos nossos outros membros] e dei outro olhar para a batida e começamos a produzir algumas coisas. Mudamos a linha de baixo, mudou a bateria, e então percebi que poderíamos ter um sucesso em nossas mãos.''

"Nosso gerente Jeremy Jones que atende pelo J. Dot mostrou a música para o Yelawolf. Ele é um dos gerentes do Yelawolf, nada disto teria sido possível sem ele. Depois Yelawolf gravou a canção, ele montou o recurso com Lil Jon. Dentro de uma hora foi feito."


11/28/2011

Especial Radioactive - Let's Roll

Hoje traremos a explicação da música "Let's Roll" com participação especial de Kid Rock, produzida por Audibles & Mr. Pyro e co-produzida por Eminem. Nós estaremos trazendo uma música por dia, então não esqueçam de conferir aqui no site, amanhã a música ''HardWhite (up in the club)'' (feat. Lil Jon).



Essa música foi produzida por The Audibles & Mr. Pyro e co-produzida por Eminem,  Yelawolf diz que quando tocaram a música no estúdio ele falou que somente gravaria a faixa se Kid rock fizesse uma participação com ele.

"Não tem nenhuma novidade abaixo do sol em minha concepção. Eu tenho uma perspectiva diferente, mais o que Kid Rock sempre tem feito, eu tenho feito. Eu apenas tenho minha própria perspectiva, estilo e cadência. Meu flow é totalmente diferente, mas minha aproximação é a mesma com o mundo. O flow dele pega mais de Run-Dmc e eu me aproximo mais de Andre 3000"

Ele conta que mostrou a faixa para o Marshall Mathers
e falou que queria Kid Rock junto a ele na música e a resposta do Eminem seria nada mais que "Meu Deus, Isso seria louco!", algum tempo depois  Kawan Prather, Paul Rosenberg, e Marshall dirigiram-se para casa de Kid Rock e apresentaram o Yelawolf a ele, desde então começaram a sair juntos, conversaram e reproduziram a faixa juntos.

Yelawolf fala que quando apresentou a música para Kid Rock ficou surpreso com a resposta, Kid Rock automáticamente responde "Mas é claro que eu vou fazer isso", ele comenta de que foram para o Bronx em New York gravar o clipe para a música e o DJ Kool Herc surgiu, e era exatamente o que ele esperava, "Ter o Kid Rock comigo no Bronx, a cidade natal do Hip-Hop. E ai o Kool Herc aparece, o criador disso tudo, tornou esse cd muito especial. A música vai detornar na rádio"



Yelawolf responde algumas perguntas




Pergunta 1

Quando você começou a fazer rap?

"Eu estou rimando muito nos últimos 6 meses mais parece que só nos últimos 3 meses eu fiquei muito bom, e eu tive que aceitar o fato de lidar com o Eminem, mais de verdade eu tenho feito rap a muito tempo, 2007 foi quando eu tive a minha primeira experiência profissional, rs."
 


Pergunta 2

Qual seu top 5 rappers?

"Top 5 rappers? Andre 3000, Marshall Mathers, ....Ice Cube, Busta Rhymes e Shawty Lo."
 


Pergunta 3


Como é trabalhar com o Marshall Mathers?
"O Marshall é um completo idiota, ele não me deixa fazer nada do que eu quero fazer, eu não escrevi nenhuma das letras no radioactive, ele disse que eu tenho que manter minha cabeça no jogo, até mesmo no Cypher foi ele que escreveu aquele verso[risos]. O Marshall é ótimo! Uma coisa que eu não esperava, mais ele me deixa fazer o que eu quero, eu tenho o melhor cara para estar no jogo, é uma honra fazer parte da família shady."


Pergunta 4 

 Como você prepara sua performance?

"Quando eu estou pronto pra minha performance eu não tenho realmente uma rotina, eu fico bastante nervoso, as vezes eu até durmo, eu passo mal as vezes, eu vomito algumas vezes, Foda-se! Eu nem sei cara, é sempre a mesma coisa, eu realmente não sei o que esperar, foram muitos anos abrindo shows para pessoas, eu tive que encarar vários adversários, algumas platéias realmente gostavam, outra não, eu fui vaiado por inúmeras pessoas, e fui aplaudido por muitos outros milhares, então é pisar no palco e nunca saber o que esperar, na minha última viajem foi com o Wiz Khalifa e foi diferente, foi para a Europa, e as pessoas já começaram a perceber o porque eu estava lá."


11/27/2011

Discurso na festa de lançamento de Radioactive

No vídeo o Yelawolf pede a atenção de todos, pergunta quem está sem copo, ele diz que significa muito para ele ver aquele pessoal la, ele diz que aquele dia que lançou seu álbum a sua vida vai mudar e que ele nunca mais vai precisar ficar por ai atrás de uma gravadora, atrás de alguém para lançar ele, agora ele vai sempre estar por ai fazendo shows, e ganhando dinheiro para a família dele para dar tudo ao filho dele, e a Shady Records é o testemunho disso e de que tudo é possível, ele fala que tem um motivo para que cada uma daquelas pessoas estejam presentes naquele evento enquanto o resto da América esté dormindo, ele agradece de novo o suporte de todos que estão presentes.


Especial Radioactive - Get away

Hoje traremos a explicação da música "Get Away" com participação especial de Shawty Fatt e Mystikal, produzida por Phonix Beats. Nós estaremos trazendo uma música por dia, então não esqueçam de conferir aqui no site, amanhã a música "Let's Roll" com Kid Rock"


Essa música foi produzida por Phonix Beats, ele conta que gravou ela enquanto estava preparando seu Cd " Trunk Musik 0-60", ele conta que deixou a faixa de lado e um dia Shawty Fatt, que fez participação com ele nessa música, estava apresentando a música e ele pensou "Nossa essa música é muito boa!" então resolveu colocar de volta a ativa.

"Eu realmente queria Shawty Fatt paticipando dessa música, sempre apreciei o trabalho dele e se tem alguém para representar o Alabama com certeza é ele!"

"A ideia de ter Mystikal nessa faixa foi por ele ser uma lenda, Nos tivemos muita sorte de ter ele participando do álbum e dessa faixa, e ele arrebentou!"

No verso "Who can tell a story like my uncle when he's drinking?" (Quem pode contar uma história como meu tio quando está bebendo?) , Yelawolf diz que se refere ao tio de Critter e diz que ele sempre foi um grande caráter na vida dele, ele conta que seu tio sempre bebeu bastante e diz que sempre que chegava ao seu limite se tornava o cara mais engraçado de todos se tornando a atração principal da festa, ele ainda comenta: "eu estava me referindo a habilidade de fazer um Freestyle com piadas e ser muito rápido de alguma maneira. O macaco bebado [risos]"

Phonix Beats diz que sempre teve um bom relacionamento com o pessoal do Yelawolf e comenta que foi uma marca na história fazer essa música com ele.


11/26/2011

Especial Radioactive

Com o lançamento do álbum radioactive de Yelawolf, nós do Yelawolf Brasil baseados na reportagem da revista Complex, criamos um especial do álbum, onde a cada dia postaremos um resumo sobre cada faixa do novo CD do rapper do Alabama.


Yelawolf estréia em uma grande gravadora, foi um bom tempo de espera, mas valeu a pena esperar. Saindo de seu clássico Trunk Muzik mixtape do MC Alabama, foi parar no campo da Shady Records de Eminem, por isso as expectativas estavam em alta todo o tempo. Mas Catfish Billy prospera sob pressão. Descubra como ele criou um clássico como Yelawolf, seus produtores, e convidado do álbum quebrando tudo, faixa por faixa. Além disso, Yela explica como Marshall influenciou no álbum, como ele chegou conectado com Kid Rock, e como ele estava fazendo sexo quando ele tinha 7 anos de idade.




"Radioactive (Introdução)"


Produzida por: WillPower

Yelawolf: "Nós tinhamos gravado a maior parte do álbum e eu sabia que eu queria ter uma introdução para o projeto. Gravei [esta canção] quando eu ia fazer uma mixtape para o álbum. Acabamos abandonando a mixtape, porque nós começamos a fazer as gravações e sentimos que deveriam ser para o álbum.

"Eu tenho realmente uma vibe sombria para fazer discos. A força de vontade pode ir para qualquer direção, mas ela geralmente tem um tom mais sombrio à sua vibração nas batidas. Nós estamos trabalhando juntos por muito tempo, então ele sabe (como produzir para mim). Eu posso pedir uma melodia ou explicar o estilo de uma batida que eu estou procurando, e nós vamos trabalhar com ele no estúdio até que cheguemos aonde nós queremos. "

WillPower: "Eu conheci Yelawolf em 2000. Quando eu conheci Yelawolf, ele me perguntou: 'O que você faz? "Eu disse,' Eu sou um produtor," e eu fiquei tipo 'O que você faz? "E ele diz,' Eu sou rapper." cerca de um tempo depois, nós gravamos um disco e fomos manos desde então.

Yelawolf diz que com essa música ele queria chamar a atenção do público, queria que eles sentissem a energia no ar e ele ainda comenta "Nos queremos que o público sinta a intensidade e queremos deixá-los meio assustados." Ele queria fazer uma cena de filme, somente Wolf para fazer uma coisa desse tipo, diz WillPower.


Fonte: COMPLEX

Yelawolf em entrevista exclusiva ao HipHopDX


Yelawolf nos recebeu para essa entrevista no quarto 812 do Manhattan’s Dreams Hotel. Ele gastou o dia anterior em Bronx para gravar o vídeoclipe de Let’s Roll.

Yelawolf descreve como foi passar o tempo com Kool Herc e Kid Rock.

HipHopDX: Eu sei que vocês tiveram uma longa noite ontem. Eu ouvi que você e Kid Rock estavam juntos.

Yelawolf: A noite passada foi uma daquelas noites que eu vou levar comigo para sempre. [...] Eu mudei depois de ontem no sentido de que eu achei um outro nível de humildade que eu não sabia que existia. Tipo, eu sempre me considerei humilde no sentido de respeitar as pessoas. Ontem fiquei mais humilde ainda. Quando alguém em volta de você que ‘pavimentou’ a estrada para você... Kid Rock definiu essa estrada em vários caminhos: Culturalmente, e toda a sua evolução. Mas ter ele e o [DJ] Kool Herc no banco traseiro, só zoando, sabe? A conversação. Eu tentei mergulhar nela. Eu queria que eu tivesse algo gravando aquilo. Isso é só uma memória que eu posso compartilhar com as pessoas. Isso não foi gravado, mas eu queria que fosse, mano.


Yelawolf fala sobre quando se tornou um fã de Hip Hop na infância.

DX: [...] Isso foi quando você teve seu primeiro disco do Run DMC e do Beastie Boys.

Yela: Isso. O Run DMC fez aquela turnê ‘Walk This Way’. E aquilo foi parar em minhas mãos, mano. [...] Pra mim, aquilo foi o destino. Aquilo estava lá apenas pra mim. Fora isso, quando eu realmente comecei a apreciar a música, eu tinha me tornado um skatista muito cedo. E por isso eu estava numa área onde só se ouvia Rock clássico, Country, e muito pouco Hip Hop. E não havia ninguém para dizer que aquilo era chamado Hip Hop. Eu sabia que a música soava diferente, mas eu não sabia definir o que eu estava ouvindo. Eu só estava deixando aquilo tocar. Aquilo também foi uma benção: A inocência de amar uma música antes mesmo de conhecer o que realmente era aquilo.

DX: Você havia dito uma interessante piada sobre aquilo. Você estava escutando ‘Paul Revere’ do Beastie Boys e pensava que aquilo era apenas outro tipo de Rock.

Yela: É, eu nunca havia escutado esse tipo de música antes. E se eu tivesse escutado ‘Kraftwerk’ antes disso, ou ‘The Cars’, ou se eu tivesse escutado qualquer outro tipo de batida, não iria me interessar. Aquilo não iria me interessar como fez o Beastie Boys. Aquilo era, com certeza, estranho. Eu pensava: ‘O que é isso? Como eles... O que é isso?!’ Tipo: ‘Que instrumento era aquele?! A porra de um didgeridoo?!' [Risadas] Não, eu não sabia que porra era didgeridoo quando eu era a porra de uma criança, mas o ponto é que eu não sabia identificar aquilo, mas eu amava. Eu sabia que era uma grande música. E cedo ou tarde viria o julgamento por amar aquilo - Sabe, sem intenção ou algo parecido – Meu amor pela cultura me colocou na estrada e me fez fazer decisões em minha vida.

Yelawolf fala sobre pessoas que o influenciaram a ser um MC.



DX: Nós nos falamos brevemente em um evento do The Roots esse ano. Você se apresentou naquele dia. E antes de entrar, você estava na área da imprensa andando de skate e fazendo manobras, e eu tive a chance de te fazer três perguntas: Uma das perguntas, eu perguntei se você queria se aproximar do Hip Hop em um ponto competitivo. Você disse: “Quando eu fiz ‘Trunk Music’ eu senti que eu devia provar meu valor como um rapper, porque eu realmente nunca tinha trabalhado duro naquilo, porque eu era um compositor. Sendo um MC, fazer wordplays era questão de prática por muitos anos. Mas o ponto pra mim é fazer boas músicas. Você está mais interessado no artista e não na sua capacidade lírica.”. Na época, eu não tinha certeza sobre o que você queria dizer com aquilo, porque Trunk Musik e Trunk Musik 0-60 era liricamente competitivo. Mas depois ouvindo Radioactive, a vibe é a composição. Você falava (Em Radioactive) sobre condições econômicas do Sul; você falava sobre diferentes tipos de relacionamentos que você teve; você falava sobre sua história com a música. Você se aprofundou em contar histórias.

Yela: Eu não fui abençoado com a rapidez de raciocínio do freestyle. Eu não consigo pensar em algo brilhante pra falar em segundos. Eu tenho que pensar no que estou fazendo. Eu sempre evitei isso, pelo motivo que “Eu não quero dizer algo idiota agora.” Havia uma época em que eu fazia umas rimas com uns amigos, improvisando. Eu cresci querendo fazer isso. Eu escrevia algumas rimas em um caderno, mas eram apenas rabiscos. Aquilo não tinha significado. Não tinha. Eu lembro do que eu tentava criar, e pensava: “O que porra eu estava pensando naquela hora?!” O que eu percebi, era que eu estava praticando wordplays e aprendendo em como juntar sílabas e rimar, e tentar descobrir metáforas. [...] Sobre as batalhas e a Cypher, aquilo nunca estava em minha volta quando eu estava crescendo. Não estava. Não havia lugar para aquilo.

[...]

Tudo o que eu acabei de dizer foi sobre querer crescer como um adulto levando a melodia das influências do Rock Clássico, e a simplicidade da música Country. [...] Eu realmente quero causar impacto com minhas músicas. Mas não é sempre dessa maneira. Há hora pra fazer festa e se divertir escrevendo uma música. Eu tenho uma música em Radioactive chamada “Animal” em que eu só fui lírico. E eu tenho uma música chamada “The Last Song” que é muito pessoal, uma música bem simples sobre meu pai. Tem a hora de se divertir e também tem a hora de ser sério. Pra mim, é tudo sobre descobrir o equilíbrio. O que funcionou pra mim não vai funcionar pra mais ninguém novamente na história, do mesmo jeito que funcionou pro Eminem, nunca mais vai funcionar para outra pessoa. Você tem que descobrir seu próprio espaço, mano. Esse é o desafio e a beleza disso tudo. O que estou fazendo, nunca mais será feito novamente. Agora estou começando a descobrir isso. Eu sinto que eu finalmente tive a oportunidade de abrir minhas asas com Radioactive. Eu estou provando que consigo fazer rap. [...] Liricamente, nada mais me impressiona. Dificilmente. Marshall fode com minha mente, o Slaughterhouse inteiro... E há poucos MCs por aí que... ‘Pharoahe Monch’ sabe o que estou dizendo? Busta RhymesTwistaTech N9ne. Eles me fazem pensar: “Mas que porra?! Isso foi insano!” Mas ainda sou mais interessado em músicas que contam histórias. Minha música favorita de Watch The Throne é New Day, aquela sobre a criança que não nasceu. [...] Minha música favorita do Marshall é ‘The Way I Am’. Você também fica louco ouvindo ‘I’m A Soldier’. Mas ‘The Way I Am’‘Stan’ são músicas realmente fodas.

Então, eu tenho a apreciação. Eu amo quando MCs são líricos. Mas o que é atrativo pra mim, é apenas música boa, mano. E isso para o Hip Hop, música Country, Rock & Roll, ou para qualquer outra porra. Eu apenas gosto de música boa.

Fonte: HipHopDX
Créditos pela tradução: Sérgio M.

Yelawolf e Wiz Khalifa fazem vídeo para um fã que sofreu acidente

O vídeo abaixo é dirigido ao jovem Conner Harris, ele estava vindo para o show no Reino Unido em South Hampton e momentos antes de ele entrar para o edifício, ele caiu inconsciente. Ele ficou sem resposta durante 30 minutos e teve 3 convulsões. Os paramédicos o levaram às pressas para o hospital. Descobrimos alguns dias depois que Conner estava recuperado e em casa. Graças a Deus.


from Yelawolf and Wiz Khalifa from Ben Greenblatt on Vimeo.

Um pouco mais sobre Let's Roll

Yelawolf no Bronx se arrumando para o clipe de Let's Roll falando do seu traje estilo country urbano e dizendo que o clipe vai estar on em breve:


11/25/2011

Revista The Guardian entrevista Yelawolf

Nós do Yelawolf Brasil, trazemos com exclusividade a tradução da matéria dada pelo Yelawolf para uma revista européia, abaixo confira fatos sobre a vida do mais novo astro do hip-hop.


 "Eu sou o coração da América" diz Yelawolf."
 
     O rapper Yelawolf do Alabama é uma das vozes mais vitais do hip hop, contando histórias do interior, da vida dura e da escuridão ao ínves de vanglória e diamantes.
     Alguns anos atrás Yelawolf, o auto denominado "Jogado na sarjeta em um riacho no Alabama", foi assinado por Eminem, ele queria ser um skatista profissional mais as poucas lesões que sofreu foram suficientes provocar a mudança para a música.
     Na noite anterior da nossa entrevista, yelawolf subiu no set de aparelhagem de 20 pés de altura em Los Angeles e se jogou na multidão, um show eletrizante, movido por adrenalina, mas que acompanha um internação hospitalar por um rim machucado. "Não é a primeira vez que fiz algo desse tipo", ele estremece.

      Com seu álbum de estréia Radioactive recém-lançado, após duas mixtapes ( Muzik Trunk e Trunk Muzik 0-60) de qualidade surpreendente no ano passado, Yelawolf - nascido Michael Atha em 1979 - está lançando-se no hip-hop com a mesma energia imprudente. Suas forças parecem particularmente em desacordo com o local onde o gênero encontra-se em 2011. Em contraste com  Jay-Z e Kanye West.
        Yelawolf retrata a pobreza rural todos os dias com a precisão evocativa de um mestre contador de histórias - bem como um grande orgulho de seu próprio passado.
      E, apesar as semelhanças visuais entre dois meninos magros brancos, Yelawolf certamente não é "o novo Eminem": ele não é um produto de Detroit, nem  sua reputação foi construída sobre a cultura pop, sagacidade e piadas.
      Ele se destaca por transmitir um medo ameaçador Sobre o Pop Trunk . "Daddy's Lambo", ele fala sobre a história de uma mimada de Beverly Hills, princesa e seu palácio, a fim de explorar suas motivações: "estrelas pop como você precisa de um cara como eu a apreciar sua riqueza / Eu sei que você tem um elevador em sua casa, mas comigo você aprecia os passos ", zomba Yelawolf na música - enquanto que para tudo o que ele realmente é dar uma volta no carro de seu pai.

        Bem como o Skate, os anos de formação de Yelawolf foram marcados por  ficar drogado nas florestas do Alabama. "Eu era uma merda de menino branco", ele ri. Desde os 12 anos de idade envolvido com drogas, como cherar cola e aos 13 colocando cocaína sobre folhas de maconha ele diz " eu era um menino bem ruim, e fiquei ruim nas drogas antes que eu tivesse 20 anos." Sera que ele sente saudades daqueles dias? "eu sinto falta de ter essa liberdade mental."  
          Yelawolf transformou toda sua jornada em um álbum de soberba: com destaques no  filme de terror assustador que ele cresceu na sarjeta. Yelawolf também tira boas curvas como a musica "Animal" produzido com ex-teen pop cantora Fefe Dobson e co-escrito notavelmente pelo talentoso cantor Atlanta Nikkiya , e uma letra, prima sem retoques a seu pai como em The Last Song. Pode não parecer como uma partida natural para muita coisa acontecendo no rap ou pop agora - mas quando se trata  de auto-foco que ainda tem ressonâncias mais amplo, Yelawolf sente como uma das vozes mais importantes ao redor.


O dia-a-dia de um artista

A vida tem sido bem corrida para Michael Wayne Atha depois que assinou com a Shady Records, na estrada para divulgar seu trabalho o rapper criou um especial de 10 capítulos, onde Yelawolf nos convida a conhecer um pouco do seu dia-a-dia da sua vida de artista.

 


Neste episódio temos uma parada em Glasgow, Escócia. Além de se apresentar para um público local, Yela e a tripulação conhecem um pouco mais do país, visitam um cemitério antigo e claro skateboarding.




Yelawolf continua suas aventuras, nesta parada encontraram com o Wu-Tang Clan. Entre os shows, Yela e sua tripulação em torno de andar de skate, beber e sair. Esses caras tem feito isso. Parece que Yelawolf é viciado em bebidas Monster Energy, o que explicaria porque ele tem tanta energia nos shows. O Wu explica quando ouviu falar de Yela pela primeira vez. Eles também explicam como a música mudou e como Yelawolf foi além da transformação.



À medida que continuamos com a série sobre Yelavision, Catfish Billy ainda está rasgando a Europa em turnê com o Wu-Tang, principalmente Manchester e Birmingham, Reino Unido.

 

 


A viagem ainda está em andamento, desta vez, escala em Liverpool para visitar a terra natal dos lendários Beatles. Yelawolf e a equipe Ghet-O-Vison  andam por todos os cantos e em um ponto Yela seqüestra um táxi.





A partir de agora é menos papo e mais ação confira o restante da maratona, shows, muita curtição, skate e diversão garantida com Yelawolf e sua tripulação:





A marotona rolou no período de 13/06/11 à 26/07/11

 



11/24/2011

Yelawolf promete que clipe de Let's Roll será 'Mágico'



"Tivemos o melhor homem "Kool Herc" para sair e fazer uma gravação. É incrível", disse Yelawolf à MTV News  "Na semana passada, o diretor teve a brilhante idéia de trazer-nos para o Bronx, a casa do hip-hop, onde ele nasceu, o que significa muito para mim. eu estava tipo, 'Ah, isso é perfeito! "

"Para mim, ser de Alabama, do modo que o hip-hop me deu, me trazendo de volta aqui, e o  Kool Herc, é magia!"

Yelawolf espera que o vídeo ajude
 a definir sua carreira " esse vídeo será crucial na minha carreira, minha música vai abrir uma porta para muitas pessoas"

Yelawolf fala sobre o significado de suas tattos!

Aqui está a tradução sobre o que o Yelawolf disse a respeito de suas tatuagens. Quem quiser pode conferir a imagem na integra clicando AQUI. Segue abaixo as traduções:

A tattoo "RED" foi feita pelo meu amigo Tony da Inkcorporated e as pessoas costumavam me chamar de "RED NECK" (pescoço vermelho). Por isso a tattoo.


A tattoo "Rides of the storm" representa tudo o que eu vivi, porque as pessoas sobrevivem a tempestades e eu já passei por muitas.

A tattoo do Michael Landon e do John Wayne é basicamente os caras que inspiraram a minha mãe a colocar o meu nome verdadeiro. Meu nome é Michael Wayne Atha.

A tattoo "Heart of Dixie" no meu estomâgo representa o Alabama, juntamente com a Chevy. Eu cresci na cultura Chevy meus bisavós já eram da cultura Chevy, então cresci nela. Minha reunião de família é como uma convenção de Chevy. (Pra quem não sabe, Chevy é uma abreviação de Chevrolet.)

As tattoos da pernas, eu tenho elas desde do Warp Tour desse ano.  Na perna direita, eu tenho como se fosse uma "escavação" através do lixo. No meu tornozelo está escrito "White Trash" (Lixo Branco). E na minha perna esquerda, eu tenho um rosto enorme de um elefante e em baixo eu tenho o "A" de Alabama. Obviamente para o Crimson Tide (time de baseball de Alabama). Que é apenas orgulho para o meu estado e orgulho para a minha equipe.
 
 

Criticas sobre o "Radioactive" de Yelawolf.

"Saíram algumas críticas sobre "Radioactive" e sites como "Def Sounds" e "This Beat Goes" lançaram elas. Separamos o melhor à vocês com exclusividade. Confiram abaixo:"

Em 2011, tem sido um grande ano para o Hip-Hop. Como lançamentos de Watch The Throne e Tha Carter IV. Mas um CD nos chamam a atenção em especial. "Radioactive" do Rapper de Alabama Yelawolf, mostra que se pode sim, fechar o ano com algo muito bom. O álbum "Radioactive" consiste  em faixas, cujas são "nomeadas" pela diversidade. Faixas como "Let's Roll" com participação de Kid Rock, mostra o clima do sul. "Hard White" no entanto, mostra como é ser um verdadeiro "peso branco". Já "Get Away" uma faixa auto-biográfica seguida por "The Hardest Love Song In the World" uma música romântica do álbum. Mas claro, temos criticas relativamente "negativas" a "Radioactive". Por exemplo: Talvez, antes de sair esse álbum, estavamos esperando algo mais "pesado". Um tipo de álbum que quando você coloca no seu carro, eles quebram os vidros e fazem o carro pular. Não foi bem isso que aconteceu no geral. É um álbum totalmente diferente daquilo que nós imaginávamos. Creio que é um bom e mal sinal ao mesmo tempo; porém, com bons resultados finais. O álbum é bastante diferente daquilo que Yelawolf fez em Trunk Muzik por exemplo, aliás, muito diferente. Mas, não soa como algo ruim! Yelawolf parece está seguindo os passos de Eminem, no quesito "ser um rapper branco". Mas sim, com o seu diferencial. "Radioactive" é uma das exposições lirícas mais impressionantes desse ano. Mas enfim, certamente é um tipo de álbum que você pode comprar e não se arrepender. Pois ele mostra, que em tempos modernos, você pode ter um disco físico em mãos e não apenas no seu computador. No entanto, uma boa nota para "Radioactive" seria 8.9 no geral. Com isso, certamente esse álbum fica entre os top 5 de 2011.

Yelawolf em Turne Europeia. Pt4

Confiar a parte 4 da turnê Européia do Yelawolf no vídeo a baixo:




Para ver as 3 primeiras partes da Turnê clique aqui.

11/23/2011

Yelawolf explica como foi trabalhar com Eminem

Em uma entrevista recente para o VladTV, Yelawolf comentou como foi trabalhar com o Eminem.
"É divertido, sabe. É engraçado na maior parte do tempo. A gente dá muitas risadas... Muitas coisas engraçadas acontecem no estúdio... Digo, pela maior parte, para mim, é meio que sugar a genialidade e tentar me entrosar e estar lá, ouvindo. Quando estou lá escrevendo, há um verdadeiro respeito mútuo. É ótimo trabalhar com o Em. Ele é o cara, digo, ele é o melhor, ponto", disse Yela.

Quando perguntado qual a coisa mais valiosa que ele aprendeu do Em da vida ou da música, Yelawolf respondeu "[Risos] O Em na verdade não fala comigo desse jeito. Nós ainda não trocamos idéia assim, tipo, você sabe, por inteiro... Já tivemos ótimas conversas mas em relação a lições e [risos] não sei, nós não chegamos a ter essa imtimidade ainda. Eu acho que absorvi mais dele só de observar e prestar atenção, sabe... de perto quando ele fala, quando ele está falando sobre uma música, quando ele está falando sobre a idéia de um refrão ou quando está falando sobre um arranjo ou falando sobre algo pra adicionar na música. Só estou absorvendo 'por que?', você sabe... Obviamente há um belo motivo por ele querer fazer isso.. É como tentar descobrir por que isso faz sentido, sabe, como deixou o som melhor ou como... você sabe.. ou simplesmente observando indiretamente sua vida através de sua música e... pelo que o público já viu, porque eu digo, eu vi igual todo mundo, sou apenas um fã, sabe, então, aproveitei disso artisticamente, sabe... Me ajudou a levantar, tem me dado bastante coisa para trabalhar - me espelhando nas coisas que ele tem feito e sobrevivendo nesta cena até agora... e geralmente quando eu falo pra ele sobre certas situações que eu estou passando... já falei pra eles algumas vezes, ele simplesmente fala tipo 'Bem-vindo a cena amigo', sabe, basicamente é só isso.. é mais ou menos assim, sabe...".

Confira o vídeo dessa entrevista abaixo:


Fonte: Eminem.com.br

A influência do Eminem no álbum 'Radioactive'



"Para o Marshall... Isso significa mais do que você colocar palavras das quais eu possa escrever uma linha, parceiro. Fazer parte do seu legado é uma honra. Obrigado por me ajudar a acender essa tocha. O que você fez, nunca será repetido. Agora sua geniosidade é um instrumento para as minhas músicas... Um instrumento que vai mostrar à milhões de pessoas minha cultura e minha perspectiva. Meu irmão de outros pais... Obrigado. - CACHORRO BRANCO!!!"
Yelawolf também disse: ''Para todos os senhores que colocaram eu e minha família para fora, para todos os trabalhos/chefes que me contrataram e demitiram. Obrigado Deus"





Fonte: Rap Basement  

Entrevista exclusiva para revista complex


Esta semana, Yelawolf estreou seu álbum Radioactive. Seu álbum mistura e combina hip-hop com uma variedade de estilos musicais, incluindo rock, dubstep, e até mesmo país. Em nossa cobertura contínua de Yelawolf Week aqui na Complex, entramos no chifre de Catfish Billy para falar sobre seus álbuns favoritos e descobriu que o seu gosto músical são tão variadas como o seu álbum de estréia.
"Há tantos álbuns mais que eu teria adorado ter mencionado", explicou Wolf. "De maneira nenhuma eu acho que esses álbuns especial são os maiores dos 25 álbuns de todos os tempos. Eles são apenas alguns dos 25 que fizeram o maior impacto na minha vida."
Embora ele se recusou a classificar os álbuns, ele passou a nos dizer sobre o álbum que o aterrorizava quando criança, o Lynyrd Skynyrd canção que ele molda-se depois, e que album faz lembrar dos dias que ele usou para cheirar sacos de papel marrom cheio de cola de avião.

 "Eu sei que meus dias de tentativas acabaram. Agora é hora de agitar. Eu não preciso mais provar para ninguém que posso fazer rap. eu não preciso mais tentar fazer um acordo. Agora é hora de escrever músicas e fazer grandes álbuns."
 



A Revista Complex perguntou, e o rapper Yelawolf que atualmente lançou seu novo trabalho ''Radioactive'' pela Shady Records respondeu quais são seus 25 álbuns favoritos. Está em ordem decrescente de acordo com os anos.

1º - Johnny Cash - American IV: Ain't No Grave
2º - Eminem - The Marshall Mathers LP
3º - OutKast - Aquemini
4º - Group Home - Living Proof
5º - Portshead - Dummy
6º - Wu-Tang Clan - Enter the Wu-Tang: 36 Chambers
7º - Digable Planets - Reachin
8º - Primus - Pork Soda
9º - Dr.Dre - The Chronic
10º - Red Hot Chili Peppers - Blood Sugar Sex Magik
11º - Nirvana - Nevermind 
12º - Garth Brooks - No Faces
13º - N.W.A. - Straight Outta Compton 
14º - Guns N' Roses - Appetite For Destruction 
15º - Metallica - Master of Puppets 
16º - Beastie Boys - Licensed to III
17° - Prince - Purple Rain
18º - Michael Jackson - Thriller 
19º - Kraftwerk - Trans-Europe Express
20º - Fleetwood Mac - Rumours
21º - Lynyrd Skynyrd - Second Helping 
22º - Stevie Wonder - Innervision
23º - The Doors - Morrison Hotel
24º - Black Sabbath - Paranoid
25º - Johnny Cash - Live at Folsom Prison

Matéria na íntegra:




Yelawolf na Capa da revista Thrasher



Na entrevista ele fala sobre manter o pé no skate durante sua turnê, ele diz que andar de skate é como uma terapia, as vezes ele precisa desse tempo pra ele.
Ele também fala sobre não ter achado um tempo bom na sua turnê pela europa para andar de skate e fala um pouco sobre suas tatoos na batata da perna.


Video na integra:



Eminem entrevista Yelawolf via twitter


Há poucas horas rolou um bate papo entre Eminem e Yelawolf via twitter, o diálogo envolveu o lançamento do álbum "Radioactive", confira abaixo:


@Eminem: Ok, aí vão as minhas perguntas para o @Yelawolf. Prontos? #Radioactive

@Eminem: 
Q1 @yelawolf - Onde você está celebrando a estreia do #radioactive?

@Yelawolf: 
E aí, cracker dick? (Pau de biscoito/Quebra pau)... Eu tô numa garrafa de Jack Daniels, mano... assistindo 8 Mile de novo... essa merda é louca... realmente aconteceu.

@Eminem: 
Q2 @yelawolf - Você é um fã de verdade. Como você se sente com o lançamento do #radioactive?

@Yelawolf: 
Leve, com algumas dinamites na frente de uma fábrica de fogos de artifícios...Coloque todos os inimigos no estacionamento e todos os fãs do outro lado de um rio com uma ótima vista...

@Eminem: 
Q3 @yelawolf - Ok white dawg (Branquelo). Então quando você começou a gravar o #Radiactive?


@Yelawolf: Em Las Vegas mais ou menos 10 meses atrás, em Janeiro. Depois mais tarde nesse mês eu toquei pra você. Nos tínhamos em volta de 12 proprietários.


@Eminem: Q4 @yelawolf - Claro que tocou. Qual é a sua música favorita do #Radiactive?


@Yelawolf: Hoje é a "Hardest love song".  Eu toquei ao vivo com uma banda ensaiando para o show do Jimmy Kimmel...Soa atraente


@Eminem: Q5 @Yelawolf - Sério? Por que é sua favorita?


@Yelawolf: Bom depende de dia para dia, Ontem era "Gutter" o dia inteiro...Estava chovendo e eu estava em um lado meio escuro.


@Eminem: Q6 @Yelawolf - Quem ou o que te inspirou a maioria do tempo para gravar #Radioactive?


@Yelawolf: Cara...eu apenas usei as pessoas ao meu redor...Todo mundo que estava envolvido...e claro minha experiência de vida.


@Eminem: Q7 @Yelawolf - Por que você colocou o nome de #Radioactive?


@Yelawolf:  É a queda da minha jornada até agora. O material #radioativo que veio depois da guerra. A difícil batalha para chegar até aqui...


@Yelawolf: ...Meu experimento científico que deu certo.


@Eminem: Q8 @Yelawolf - Agora eles estão pedindo para eu fazer perguntas bobas. Batman ou Superman?


@Yelawolf: Se eu tiver que escolher, Batman. Mas meu tio Critter poderia chutar a bunda dos dois e atiraria cerveja na velocidade da luz. BAMA!


@Eminem: Q9 @Yelawolf - Você está indo no shopping mais tarde?


@Yelawolf: Por que? ...Você precisa de um novo "air max"? hahahah Honky Kong!!


@Eminem: Q10 - Se você pudesse escolher uma pessoa para tocar #radioactive pra ela, quem seria?


@Yelawolf: Aquele cara que jogou o meu CD Demo no meu pé da janela do carro dele em 2005...Eu estava segurando meu filho de 1 ano de idade.


@Yelawolf: ...Agora meu filho tem 7 anos e ele tem tudo o que quer. Obrigado Marshall.


@Eminem: Ok @Yelawolf Eu estou saindo! #radioactive


Imagens do diálogo:


     
     


Estréia do "Radioactive"

Hoje é a estréia oficial do lançamento do primeiro álbum do Yelawolf pela Shady Records, 'Radioactive'.


Yelawolf dará uma festa hoje em Atlanta pela estréia do cd e os 50 primeiros fãs a chegar com uma cópia do cd entrarão na faixa.

Abaixo o álbum em sua versão deluxe, que acompanha as faixas extras:






1. Radioactive (Intro)
2. Get Away (Feat. Shawty Fatt & Mystikal)
3. Let’s Roll (Feat. Kid Rock)
4. Hard White (Up In The Club) (Feat. Lil Jon)
5. Growin’ Up In The Gutter (Feat. Rittz)
6. Throw It Up (Feat. Gangsta Boo & Eminem)
7. Good Girl
8. Made In The U.S.A.
9. Animal (Feat. Fefe Dobson)
10. The Hardest Love Song In The World
11. Write Your Name
12. Everything I Love The Most
13. Radio
14. Slumerican Shitizen (Feat. Killer Mike)
15. The Last Song
16. Whip It (Bônus Track)
17. I See You (Bônus Track)
18. In This World (Bônus Track)


Você pode comprar o álbum pela loja da iTunes
ou pelo site da Amazon